quarta-feira, 29 de março de 2017

PELÍCULA



PF admite que fez imagens de Lula em condução coercitiva
(Notícia do Valor Econômico)

Darão crachás aos figurões do escrete
para fazer um filme da “aventura”
que tem sido esse golpe: uma fritura
na qual o ovo Brasil vira omelete —

coisa de quem sabe pintar o sete
ou sabe dar à vida uma tintura,
tornando doce a sua catadura,
na comédia em que a história se repete.

Poderia ser filme de fantasma
ou talvez pastelão do preto-e-branco,
com que a terceira idade se entusiasma.

Mais importante: a coisa deveria
intitular-se “Vai pegar no tranco!”
(e ter uns toques de pornografia).

(Da série Indigestos e Purgativos — novos poemas. Inédito)

sexta-feira, 24 de março de 2017

INTIMIDADE*



“Em 6 anos, Dilma não conseguiu entregar as obras de transposição do São Francisco. Nós entregamos em seis meses.”
(Wellington Moreira Franco)

Esse Gato Angorá — meu amigão —
parece que só cabe em fôrma larga:
quando menos se espera, dobra a carga,
não sei se por inépcia ou diversão.

Em seis meses, por certo, não faria
nem a rede de esgoto do Alvorada
(onde, vale lembrar, não caberia
metade de sua ânsia desbragada).

Embora diga frases que são bolhas
e saiba abrir um cofre — que ele invade
com muita arte e sublime intimidade,

tem às vezes recaídas de coitado:
tenta abrir portas com um saca-rolhas
ou consertar relógios com um machado.

* Do livro Indigestos e purgativos, nova série. Inédito

domingo, 5 de fevereiro de 2017

CONSTRUTOR




Pavimentou com ovos de serpente
essa estrada comprida e desastrosa,
que há de levar a algum inferno quente
(pois não conduz a um éden cor-de-rosa).

Ungiu-a com o veneno dissolvente
da intenção reptiliana, cavilosa,
como um aviso a quem não se contente
e ali se perca em noite tumultuosa.

E, para mor perigo, encompridou-a
até o limite do asco e do futuro,
onde, alto e súbito, um trovão já soa.

Para a queda é que a fez — e sob medida,
pois no abismo termina, inadvertida,
se abrindo ao fim num sorvedouro escuro.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

FAMÍLIA



No dia seguinte, Noblat, que também foi um dos entrevistadores do Roda Viva, publicou um tweet que mais parece um daqueles poemas horrorosos do não-eleito...
(João Filho, no Intercept)

O presidente Putativo,
com dona Bela, a recatada,
e o milionário Miguézinho
passam seu doce feriado
no Palácio do Jaburu.

Nada é mais belo que a família,
nem mais lindo que um feriado,
quando se é tão decorativo
e não há pedras no caminho.
(E o sol brilha forte em Brasília!)

Só mesmo a saúde do Brasil,
e a política do Brasil,
e a economia do Brasil,
e outras coisinhas do Brasil
é que andam feias  pra chuchu!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

NOVA VERSÃO



Nova versão, atualizada, de Indigestos e Purgativos, com o acréscimo de cinco novos sonetos. Para baixar gratuitamente clique aqui.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

INDIGESTOS E PURGATIVOS

(sonetos políticos e satíricos)


Versão para acesso gratuito na internet, a partir do site oficial do autor:

http://www.arquivors.com/renato_indigestos.pdf

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

ACRÓSTICO




Baixo demais para alcançar o topo,
Ralo demais para engrossar o caldo,
Aguado em demasia, não me esbaldo:
Subo na lâmina e transbordo o copo.

Instado pelo espinho da vaidade,
Levanto o meu curtíssimo pescoço
E espalho, sobre a borda desse poço,
Incensos de grandeza e de hombridade.

Reles demais para lhes dar substância
Ou sentido (ou tempero, ou só fermento),
Dou-lhes um pouco do meu próprio vento,
Ostentando fumaças de importância.

Assim alcanço ao menos envergar
Nas páginas da imprensa amiga e pasma
Uma aparência magra de fantasma:
Sem que exorcismos venham me expurgar.