quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

DEMORA






















Enquanto não chega
a tropa inimiga;
enquanto não vem
o disco voador
semear incêndios
sobre a nossa roça;
enquanto não soa
na tarde o rugido
do amargo motor,
aqui jazeremos,
aqui ficaremos
apalpando moça.

Enquanto se atrasa
a ordem do senhor,
e não vem a chuva,
e se estanca o vento,
e um grande mormaço
no dia se empoça
(formando um cordão
de instantes opacos,
que a preguiça estraga),
aqui vagaremos
e nos distrairemos
apalpando moça.

Enquanto lá fora
jogam jogo vil
os donos da vida;
e se atrasa a chuva
contra a qual não há
valor que ainda possa;
aqui, como absortos
entre as engrenagens
de horas emperradas,
nos ocuparemos,
nos dissiparemos
apalpando moça.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

SONETO XLIII



Manifestantes ocupam triplex dos Marinho em Paraty
(Notícia do Pragmatismo Político)

Os três leões-marinhos são uns santos,
que dão prêmios aos juízes, predispostos,
enquanto se exercitam pelos cantos
na arte sutil de sonegar impostos.

Só lá na Caras vemos os seus rostos,
mas nunca nos jornais, que eles têm tantos;
pois a riqueza os cobre de mil mantos
e estão os puxa-sacos sempre a postos.

Tendo comido o cérebro da gente
no Jornal Nacional, andam cercando
terra pública, ao povo pertencente.

(E a tal Paraty House bem que parece
uma bocarra imensa devorando
a paisagem que em volta reverdece.)

(Indigestos e purgativos, 1ª série)

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

AQUALOUCO



Encontro de Temer e CEO da Nestlé revela interesses na privatização da água no Brasil
(Notícia do Brasil de Fato)

Fui aqualouco mergulhar na tina.
Fui em busca da insólita aventura.
Fui em busca do soro, da vacina,
do remédio, do antídoto, da cura!

Fui buscar a safira, a turmalina,
o tesouro do rei, com a escritura.
Fui beber da corrente cristalina
e acender meu farol em noite escura.

Fui em busca do Pi, da Coisa em Si,
do patuá, do cachimbo do saci:
fui procurar as Índias, o eldorado.

Fui levar meu recado ao capitão.
Fui gordo, fui alegre, fui danado:
fui pôr água no leite do povão!

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

CONVESCOTE



Desembargador que irá julgar suspeição de Moro declarou ‘amizade crescente’ em livro
(Notícia do site Lula.com.br)

O magistrado, o tio, o conselheiro,
o designado, o primo, o promotor,
a sogra, o filho, o desembargador,
o foro, a irmã do amigo, o faroleiro,

o ministro lá em cima, o mutreteiro,
o juiz, os pares, e o corregedor —
tais são, formando em longo corredor,
os grandes astros desse galinheiro.

Eu é que lá não vou, não me apresento,
não dou ao convescote familiar
senão meu incentivo, de incremento.

(Mas não descarto a ideia, acalentada,
de servir-lhes um dia, no Alvorada,
farto, presidencial — régio jantar!)

(Indigestos e purgativos, 3ª série, inédito)

domingo, 31 de dezembro de 2017

VADE RETRO!




E muita coisa isso. Me da uns dias que vou fazer contato para que o DD entre nessa negociação
(Mensagem de Whatsapp divulgada por Rodrigo Tacla Duran, advogado da Odebrecht)

Dum-dum, doce de coco, dopamina,
disparada de potro, doida peta,
como se um duende desse na buzina
ou Deus jogasse dados com o capeta.

Desando de quem dorme na latrina
depois de um ricto ou diluvial careta,
de um demente que em dobro desatina
num dúbio pas de deux ou carrapeta.

Vade retro! E há quem entre no negócio,
com bênçãos de pastor ou de mandrake
(se não for o Chifrudo o grande sócio)!

Muita coisa! — até mesmo para um craque
que, como eu, no furdunço anda curtido
e em dar pares à dança, destemido!

(Indigestos e purgativos, 3ª série, inédito)

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017


PRESTEZA




(Foto: reptossaurus.blogspot.com.br)

A Justiça brasileira demora 24 anos para prender Maluf, enquanto demora 6 dias para ler 250 mil páginas contra Lula!
(Meme do Facebook)

Leria muito mais e sem preguiça,
pois em questões de urgência é desenvolta
(se o tema a faz coçar); mas corta a volta
e dorme, quando o assunto é só justiça.

Tem no estômago (embora não pareça)
uma espécie de lixa que deglute
facilmente metade de um mamute
(ou outro bicho grande que apareça).

Justiça ou britadeira, ou só martelo,
vê no Brasil um prego, e há de batê-lo
mesmo que a tábua rache fatalmente.

Assim funciona, em terra tropical
a ideia da presteza, judicial,
que aqui, por índole, jamais se mente.


(Indigestos e Purgativos, terceira série)

sábado, 25 de novembro de 2017

Indigestos e Purgativos (2ª série)



Segunda leva de sonetos da série Indigestos e Purgativos, disponível para acesso gratuito em

http://www.arquivors.com/renato_indigestos2.pdf